Ratatouille, bouillabaisse e aioli

guiasemapas.jpg

Todo mundo, ao menos os normais, já teve a sua fase de sexo, drogas e rock’n roll. O tempo passa, a lusitana gira, e graçazadeus mudamos os nossos interesses. Eu, agora, estou entrando numa fase ratatouille, bouillabaisse e aioli. Depois de abrir a minha mente nos anos 70 e 80, de um tempo pra cá resolvi abrir o aparelho digestivo. Como jamais me empanturrei (em demasia) com sexo, drogas e rock’n roll, afinal eu sou NORMAL, tampouco me empanturro com comida e bebida. Mas a fase, digamos assim, é de experiências gastro-sensoriais.

Ingerir substâncias que produzem bem estar e se deleitar com música, de preferência em lugares agradáveis, como em meio à natureza ou em ambientes serenos e aconchegantes, ao lado de pessoas amadas, são definitivamente o meu barato. E seu eu morrer disto, morro feliz.

Evidentemente, não estou aqui para fazer apologia de práticas perniciosas, nem do hedonismo. Ao contrário. Tudo o que quero é expandir os meus horizontes e ter uma vida saudável, dentro do limite do tolerável (ou seja, não me convidem para uma churrascada de tofu), e se possível conhecer, compartilhar o que sei e aprender coisas novas em lugares conhecidos ou diferentes e com gente do bem (não confundam com gente de bem, já que não há relação entre uma coisa e outra).

Estamos de malas prontas para um mês na França. É conseqüência natural da filosofia ratatouille, bouillabaisse e aioli.  Nos anos 60, os malucos iam passar fome em Katmandu, no Nepal, ou tomar banho de merda no rio Ganjes, na Índia. E viajavam semanas no Magic Bus, sem saber se chegariam, provavelmente não, através do Iraque, do Irã, do Paquistão.

Mais uma vez graçazadeus, naquele tempo eu queria mas não podia. Hoje eu posso, mas, por força do giro da Lusitana, a minha Meca está entre Paris, Vale do Loire e a Provence. O Magic Bus dos tempos das drogas no meu caso evoluiu para um Peugeot 206 com GPS dos tempos do leasing para estrangeiros. Para horror de um amigo, serão 30 dias pelos mais refinados congestionamentos europeus, garantindo o nível de stress adequado para quem pretende passar o resto do tempo ouvindo a cigarra cantar. Não sei se vocês me entendem.

Anúncios

Sobre Beto Paschoalini

É o que dizem por aí.
Esse post foi publicado em França. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Ratatouille, bouillabaisse e aioli

  1. Mô Gribel disse:

    Beto, uma excelente viagem para vocês!
    Que seus 30 dias se multipliquem por 30 mil fotos e 300.000 ótimas recordações.
    Estarei esperando as notícias pelos posts maravilhosos que sei que escreverá!
    Beijos

  2. Beto disse:

    Mô, cê deve tá pensando que eu tô indo amanhã, porque eu disse que tava com as malas prontas. Tamos mesmo com as malas no meio da casa, mas de tanta vontade. Só vamos no final do mês. Beijos.

  3. Em primeiro lugar, boa viagem, procêis dois. Em segundo lugar, não entendi o lance do “ouvindo a cigarra cantar”, e como você deu a impressão de que todo mundo devia entender, fiquei preocupado com a possibilidade de ser sido atropelado pelo Magic Bus… ou pelo Peugeot ali da esquina de casa.

  4. Beto disse:

    É que tem muita cigarra na Provence, Lagartixa. E elas não param de cantar enquanto o sol brilha no verão. Parece que tu tá sofrendo de zumbido.

  5. Diogo disse:

    Betinho fofinho queridinho do tio: traz pra gente uma diquinha de cada lugar, traz? Uma de Parrí, outra do Loire e uma da Provence… plis, purfa!!

    Confio no teu bom gostíssimo. E no teu feeling pra lindos clicks!

    Combinado? Te mando em seguida o Guia da Serra Gaúcha, como forma de pagamento 😎

    Bjos e aguardo o teu ok!!

  6. Beto disse:

    Dioguito fofito, tomaremos uma 51 olhando o Loire e pensando em ti, em troca do guia da Serra Gaúcha (que um dia, em breve, espero, conhecerei). Abraços e OK…

  7. Diogo disse:

    Ei ei ei, isso quer dizer que tenho retorno negativo com relação à minha solicitation? Ah, o Betinho, purfa velho… gostaria muito mesmo, se não fosse muuuito incômodo…

  8. Diogo disse:

    Ops, fiquei tão nervoso que nem li a resposta direito. Me tranquilizei com o “Ok” no final 🙂

    Betão, beijo procêis dois, aproveitem essa lua-de-mel fora de temporada, e seeeee deeeer teeeempo, e seee nããããão quebrar o clima, senta o dedo na máquina!!

    Mas mesmo que não dê o guia vai a Santos, relax!!

  9. Beto disse:

    Diogo, não há hipótese de o dedo não ficar roçando no disparador o tempo todo. São 20 dedos nervosos nestas paragens. Fique tranqüilo, que o guia da serra já tá faturado. Abração.

  10. Emília disse:

    Ô, delícia…inspirada na outra vez em que vocês alugaram uma casa por lá, andei fuçando e vi lugares maravilhosos por um preço bem razoável, ótima dica. Eu provavelmente devo estar na região em setembro…ai, ansiedade.

  11. Beto disse:

    Que legal que você vai, Emília… Vocês vão adorar. Altas caminhadas. Até lá, vamos ter boas informações pra trocar. Passa pra gente os links dos lugares bacanas que você encontrou na pesquisa. Temos dois amigos que irão encontrar-nos por lá e eles querem opções de hospedagem. Mande o que você tiver. Beijos.

  12. Emília disse:

    Oi, Beto! Olha só alguns do sites:
    http://www.provenceholidayproperties.com/
    http://www.southfrancevillas.com/
    http://www.rentvillas.com/
    Na verdade eu vou ficar no litoral, mas com certeza vou querer dar uma passeada pelo interior. Eu adoro praia, mas sabe como é que é…filha de mineiros, o interior chama 😀

  13. Majô disse:

    Beto, ai que invejaaaaaaaaaa 😉 Aproveitem muito. Não deixem de ir ao Orsay 😆 Leva a Teté embaixo da pirâmide do Louvre, tem uma loja com contas e material de artezanato bárbara !! Fora a l’Occitane e outras lojas bem interessantes.

  14. Diogo disse:

    Shooooooooow tio!!!!

  15. Diogo disse:

    Betão, teu guia já tá no correio. Quero a tua opinião desupés!!! E tomara que ele chegue vivo 🙂

  16. Beto disse:

    Tô roendo as unhas de ansiedade, Diogão.

  17. Desejo uma espetacular viagem em TODOS os sentidos, mas em especial naqueles que VOCÊ tem expectativas.

    Viajar pela França é maravilhoso e, Paris, é uma das três cidades que mais gosto no mundo (além de Barcelona e Praga).

    Comer é meu fraco (ou forte, dependendo do ponto-de-vista!) e jamais me esquecerei de uma refeição num restaurantezinho simples e delicioso que fiz em Dijon….

    Eu pretendo retornar à França e refazer uma viagem de carro à Costa Azul e à Provença , sem dúvidas. É claro que suas dicas e matérias a serem publicadas aqui serão muito úteis.

    SUCESSO!

  18. Beto disse:

    Boas vibrações, Arnaldo, é do que sempre precisamos. Abraços.

  19. BETO, li uma matéria sobre a Provence na revista Próxima Viagem e me lembrei de você. Acho que vale a pena ler mais esta, aidna que sua programação esteja prontinha e bem feita:

    http://www.proximaviagem.com.br/revista/99/textos/1724
    Acho esta a melhor revista de viagens do Brasil.

    Se tiver um tempo, dê uma passada no FATOS & FOTOS de Viagens para conhecer Bangkok.

    Abraços.

  20. Diogo disse:

    Ô, pxiu, recebeu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s