No coração da alcachofra

Fui olhar as fotos pra ilustrar o post do hotelzinho em que ficamos em Paris e percebi que não havíamos feito uma só decente. Ao mesmo tempo, caiu a ficha de que o que menos importa é mostrar as fotos de cama, armário, mesa e banheiro. A internet taí pra mentir sozinha.

O Lion D’Or , no nº 5 da rue de la Sourdière, no 1º arrondissement, indicação da Maria Lina, do Conexão Paris, parece bem mais charmoso em seu site do que é de fato. Mas tá longe de ser ruim. É simples, limpo e ainda tem uma boa sala de computadores pra acessar a internet. Não tem elevadores e é possível que você seja obrigado a carregar a sua mala escada acima. O ponto forte é a relação preço-localização. O bicho fica no coração da cidade e custa o preço de um Ibis: 85 euros o apê standard (double).

A duas ou três quadras ao norte, está a Opera. Uma quadra e meia a oeste, a Place Vendôme.

Uma quadra ao sul, as Tulherias, e a duas, o Louvre.

A duas a leste, o Palais Royal.

Fica quase numa esquina da rue Saint Honoré. O café da manhã é cobrado à parte, mais vale dar um pulinho logo de manhã numa boulangerie no meio da quadra da St. Honoré, comprar pão e uns croissants, esticar até o mercadinho quase em frente, pegar o leite, o suco, uns iogurtes, o camembert e até uma manteiguinha com cristais de sal, quem sabe uma geléia, e botar naquela maleta térmica dobrável que todo farofeiro de categoria deve levar na mala.

Na Rue Saint Honoré, a 50 passos do Lion D’Or, tem uma outra dica da Maria Lina , a patisseria e chocolateria Jean Paul Hévin, onde almoçamos quiches de alho poró e de espinafre com cogumelos logo no primeiro dia. Biquei o Safi (doce com casquinha e musse de chocolate negro e laranja) da Teté, pois não tinha o eclair de café que eu queria. Dica aprovadíssima a 31 euros.

Dá pra ir a pé a praticamente todos os lugares interessantes do centro ou próximos, como o Marais, a Île St. Louis, Notre Dame, Rive Gauche. Fomos até o Museu Rodin, aos Invalides, Torre Eiffel. E no caminho a gente esbarra com esquinas em que gostaríamos de ter sempre um encontro marcado.

Não vou fugir da raia. A foto (canhestra) que fiz do quarto é essa aí de baixo. E por justiça e a fim de evitar um sermão por publicar a foto de um quarto tão zoneado, assumo o bordel: a camiseta verde estendida sobre a cama é minha, assim como a havaiana no chão; as malas e a cama estavam em processo de organização.

A frente do hotel e a tranquilíssima rua onde ele se encontra só fotografamos ao partir, de carro (um Peugeot 307, leasing de 31 dias), em direção ao Vale do Loire.

Anúncios

Sobre Beto Paschoalini

É o que dizem por aí.
Esse post foi publicado em Estômago e papilas (nessa ordem), Europa, França, Onde ficar, Paris. Bookmark o link permanente.

13 respostas para No coração da alcachofra

  1. conexaoparis disse:

    Olá
    Obrigada por me citar.
    O Conexão Paris mudou de endereço desde maio 2008.
    Peço que faça a correção do link.
    O novo endereço é
    http://www.conexaoparis.com.br
    Abraços
    Maria Lina

  2. Beto disse:

    A Maria Lina tem razão, já corrigi os links. Pra quem ainda não conhece, o excelente site da Maria Lina é uma das melhores referências para quem vai viajar a Paris e precisa de informações recentes.

  3. marcelo disse:

    Caro Beto,

    Não lembro exatamente como cheguei aqui, mas virei fã do teu blog. Leasing de 31 dias na França é tudo de bom…

    Parabéns

    abraço!

  4. Dorothy disse:

    Comprei bilhete TAM São Paulo / Maceió sem escalas vôo 3164 de 16 de Julho. Só que a TAM – voadora que mais desrespeita o usuário – cancelou o referido vôo e transferiu todos os passageiros para o vôo 3170 com escala em Salvador e POLTRONAS LIBERADAS. A bagunça foi grande. Muitas brigas e reclamações de todos. E a tripulação mais perdida do que cego em tiroteio sorria com ironia. É o JEITO TAM DE VOAR. Só nos resta esperar a chegada da AZUL. A TAM continua sendo a última opção.

  5. Letícia disse:

    OI Beto, tenho lido sempre seu blog mas nunca deixei comentários. Vc fez um leasinga ne?? Vale a pena por um periodo mais curto? é melhor do que alugar o carro?? Precisaremos do carro durante 13 dias pegando na França e devolvendo na Italia. Se vc achar q o leasinga compensa, sera que vc podia me indicar os sites onde vc resolveu isso???
    Obrigada e seu blog esta muito legal… aguardo ansiosa os posts da sua recente passagem pela Provence…

  6. Letícia disse:

    Não sei o q fiz que escrevi leasing errado duas vezes… desculpe!!! rs

  7. Beto disse:

    Letícia, o tempo mínimo para leasing, se não me engano, é 17 dias. Menos que isso vai ficar muito caro e nem sei se é possível. Não aconselho fazer o leasing pela internet. Eu até tentei, mas as respostas demoraram muito e não foram conclusivas. Vale apenas para consultar os preços. O site é este: http://www.peugeot-openeurope.com . Para fazer o contrato, me senti mais seguro utilizando o meu agente de viagem. Para retirar ou devolver o veículo fora da França normalmente cobra-se uma taxa. Como o teu período é só de 13 dias, é melhor alugar. Pesquise os preços na internet mas feche por meio do teu agente, pois sempre há condições e taxas adicionais que você só fica sabendo na hora de pegar o carro. Fique atenta às condições do seguro, pois as franquias às vezes são altas (o melhor é seguro total, sem franquia). Obrigado pela visita. Abraço

  8. Debora disse:

    Beto, já estava com saudade dos seus textos e fotos!
    Capriche nos próximos posts, hein!
    Bjs

  9. Os doces e chocolates da loja de Jean-Paul Hévin são de tirar do sério qualquer mortal…

  10. Letícia disse:

    OI Beto, obrigada pelas explicações e realmente é isso mesmo, 17 dias é o minimo para fazer o leasing… mas eu e meu marido já resolvemos alugar mesmo… vai ficar bem mais caro devolver o carro na Italia mas paciencia, somos cabeças-duras…. rs
    agora estou so esperando seus comentario sobre a Provence…

  11. Mô Gribel disse:

    Beto, seu hotelzinho está anotadíssimo para quando eu for à Paris…um dia…quem sabe…ai ai….continuo suspirando com Parriiiiii…rs

  12. Adriana Barudi disse:

    Olá Beto, tudo bem?!
    Estava ansiosa para ver o post do hotel Lion D’or… vc recomenda?!
    Achei tudo lindo no site tb, a localização é perfeita e o preço muito tb…o duro é que estou querendo ir em junho/ julho do próximo ano com meu marido e meus pais…não sei se eles vão gostar da idéia de ter que subir com as malas…são quantos andares?!
    hehehehehehe
    Ah Beto, já “pentelhando”, vou fazer um roteirinho inicial pela Italia, pra depois fazer Provence e Paris por último…vc me aconselha a pegar um trem italia- frança…ou talvez pegar um avião veneza – marselha e de lá alugar um carro?!
    Aliás existe algum trem de alta velocidade que ligue alguma cidade da Italia a França?! Sei que tem o TGV na França, certo?!
    Obrigada mais uma vez!!!!
    beijos

  13. Beto disse:

    Adriana, acho que são 3 andares. Sempre dá pra carregar as bagagens em etapas, poupando teus pais. Eu voltaria, e espero voltar, ao Lion D’Or, como já disse pela relação custo-localização. Sobre o trem de Veneza a Marselha, é melhor consultar o Ricardo Freire no site http://viajeaqui.abril.com.br/indices/conteudo/blog/viaje-na-viagem.shtml , pois ele é o cara que entende disso. Eu raramente viajo de trem. Sobre carro na Provence, acho indispensável. Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s